A Secretaria da Saúde de Ilhéus realizou durante os dias de sexta-feira e sábado (29 e 30), um mutirão para a realização do exame Dopler Transcraniano. Esse procedimento é uma recomendação do Ministério da Saúde para todos os pacientes que possuam anemia falciforme e tenha idade entre 2 a 16 anos. Segundo uma das coordenadoras do Núcleo de Anemia Falciforme de Ilhéus, a enfermeira Manuela Mesquita, o exame é realizado somente em Salvador, e uma parceria com a Secretaria da Saúde do Estado possibilitou o mutirão. O secretário municipal da Saúde, Uildison Nascimento, acompanhou a realização dos exames e salientou a importância para os pacientes de Ilhéus

Segundo explicou o médico da secretaria estadual da Saúde (Sesab), Camilo Vieira, responsável pela realização do exame, o Dopler apresenta a velocidade do fluxo das artérias do cérebro, identificando os pacientes que estão mais propensos a ter um AVC (acidente cardiovascular). “Com esse diagnóstico, os pacientes serão encaminhados para tratamentos como a transfusão de sangue, prevenindo assim o AVC nessas crianças e adolescentes”. O médico explicou, ainda, que as crianças com anemia falciforme possuem um risco 244 vezes maior do que outras crianças de apresentar um AVC.

Segundo a médica hematologista Tereza Cristina Fonseca, que atende no Núcleo de Doença Falciforme, esses pacientes devem realizar o exame pelo menos uma vez por ano, dada a sua importância preventiva. Ela salientou, ainda, a importância do acompanhamento dos pacientes falcifórmicos. ”Desde que seja identificada a doença, na triagem neonatal durante o teste do pezinho, esse pacientes precisarão de acompanhamento médico constante. ‘Com a realização do tratamento no Núcleo, os pacientes participarão de todo o programa de acompanhamento com a realização de hemogramas constantes, agendamentos de vacinas específicas, tratamento com antibióticos, além da realização do exame Dopler’’, explicou a médica.

O Núcleo de Doença Falciforme no município atende a cerca de 150 pacientes e existe há cerca de sete anos. “Agora o núcleo conta com mais profissionais, de diferentes áreas, voltados especificamente para o atendimento destes pacientes”, informa a coordenadora Manuella. O Núcleo também oferece atividades continuadas de educação e saúde, com palestras informativas uma vez por mês, visando o bem-estar e melhoria dos pacientes.

A anemia falciforme é uma doença genética, caracterizada pela má formação dos glóbulos vermelhos, tornando-os parecidos com uma foice, daí o nome falciforme. Essas células têm sua membrana alterada e rompem-se mais facilmente, causando anemia e outros sintomas. O Núcleo de Anemia Falciforme funciona no Centro Municipal de Atendimento Especializado (Cemae), que oferece atendimento clínico à população de Ilhéus e região através de equipe multidisciplinar com especialidades médicas variadas.

A anemia falciforme é uma doença genética, caracterizada pela má formação dos glóbulos vermelhos, tornando-os parecidos com uma foice, daí o nome falciforme. Essas células têm sua membrana alterada e rompem-se mais facilmente, causando anemia e outros sintomas. Os atendimentos são realizados através do encaminhamento via unidades e postos de saúde. O centro funciona atualmente na rua Major Homem Del Rey, s/n, no bairro Cidade Nova, e atende das 7 às 17 horas. Informações adicionais podem ser obtidas através do telefone (73) 3234-5147