Aguarde! Carregando...
Aguarde! Carregando...
X

O Tabuleiro

  • Dólar Comercial R$ 3,307 Dólar PTAX800 R$ 3,318
  • 16-12-2017 | 22:22h

A duplicação da Ilhéus-Itabuna e a pós-verdade

A duplicação da Ilhéus-Itabuna e a pós-verdade

“Nosso tempo, sem dúvida... prefere a imagem à coisa, a cópia ao original, a representação à realidade, a aparência ao ser... à medida que decresce a verdade a ilusão aumenta...”.

Essa frase foi escrita em 1841 pelo alemão Feuerbach. Passados mais de 170 anos, ela é extremamente atual, uma vez que vivemos no mundo realmente invertido, onde o verdadeiro é um momento do falso, e o que é falso se torna verdadeiro.

O ser humano se alimenta de expectativas, as quais devem se concretizar no curto, médio e longo prazo. Baseado nisso, governantes prometem obras, estimulam investimentos, e quase sempre, nada acontece.

Em uma segunda-feira, oito de setembro de 2014, o então Governador da Bahia, hoje Secretário de Desenvolvimento Econômico, Jaques Wagner, assinava junto com o então ministro dos Transportes, Paulo Sérgio Passos a duplicação da BR-415 entre Ilhéus e Itabuna com previsão de entrega da obra em 2016.

Passados três anos desta assinatura, o atual governador Rui Costa, na época Secretário de Governo de Wagner, visita a região para novamente assinar a autorização de uma obra que já era para estar concluída.

Como explicar, que o conhecimento vale menos que o apelo emocional embasado em expectativas incertas?

Na sociedade da informação instantânea e rápida, surge e predomina a Pós-verdade, utilizada para mostrar que fatos objetivos e concretos influência menos a opinião pública do que apelos à emoção e a crenças pessoais.

Junto com a Duplicação da Ilhéus-Itabuna, a região vivenciou a expectativa do Porto Sul e da Ferrovia. Passados cinco anos, a VALEC, órgão responsável pela construção da Ferrovia, estar transferindo sua unidade de Ilhéus para Jequié.

Dezenas de famílias da região da Ponta da Tulha estão passando sérios problemas, pois suas propriedades foram desapropriadas e até hoje não foram indenizadas e não podem fazer benfeitorias. O que fazer com essas pessoas? Suas expectativas transformaram-se em frustração e sofrimento.

A fazenda Primavera na Ilhéus-Itabuna foi desapropriada para a construção de um complexo logístico naquela região. E o Aeroporto, que seria construído também na Ilhéus- Itabuna.

Que fiquemos mais atentos, pois em período pré-eleitoral, os fake News e a pós-verdade tornam-se comuns e nós, não podemos continuar nos iludindo com apelos, promessas e narrativas populistas, precisamos de respeito e acima de tudo: verdade.

Reinaldo Soares é Mestre em Cultura e Turismo pela UESC/UFBA, Ex- Presidente do Conselho Municipal de Educação de Ilhéus- Diretor do IBEC, Palestrante, Professor da Pós-Graduação da FACSA/IBEC e do Colégio Estadual Professora Horizontina Conceição.  E-mail: [email protected]

Deixe seu comentário para A duplicação da Ilhéus-Itabuna e a pós-verdade

SEJA O PRIMEIRO A COMENTAR ESTE POST! Deixe agora o Seu Comentário :)
Avalie Este Conteúdo: 1 2 3 4 5
[Aguarde, Buscando Dados!]

Colunas de Prof. Reinaldo Soares

Prof. Reinaldo Soares
Prof. Reinaldo Soares

Reinaldo Soares é Mestre em Cultura e Turismo pela UESC/UFBA, Ex- Presidente do Conselho Municipal de Educação de Ilhéus- Diretor do IBEC, Palestrante, Professor da Pós-Graduação da FACSA/IBEC e do Colégio Estadual Professora Horizontina Conceição.  E-mail: [email protected]