Aguarde! Carregando...
Aguarde! Carregando...
X

O Tabuleiro

  • Dólar Comercial R$ 3,307 Dólar PTAX800 R$ 3,318
  • 18-12-2017 | 07:03h

O Artista

O Artista

Se você vai casar, deseja que a sua festa tenha o melhor buffet, a melhor logística, os melhores garçons, a igreja mais bonita, o padre com o discurso mais apaixonante, os convites mais caros, a decoração mais linda e a banda... bem, a banda que vai tocar na festa tem que ser a banda que eu conheço, de um amigo, que ele vai tocar de graça! De graça, não, tenho certeza que ele faz um preço camarada, um preço de amigo. Peraí! Por que a banda tem que ser de graça e fazer um preço camarada? A banda, ou melhor, os músicos são diferentes dos demais profissionais do buffet, dos convites e da decoração? Claro que não! Músico, ator, pintor, coréografo, escritor, palhaço também é um profissional tal qual um advogado, um engenheiro, um médico, um arquiteto, um biólogo!

Goca Moreno, artista plástico, todos os dias chega em seu atelier às 8h, sai ao meio-dia, volta às 14h e sai às 18 horas, religiosamente. Ele possui funcionários, paga impostos, planeja suas peças, vende, produz, vende. Assim como ele, dezenas de outros artistas grapiúnas vivem do que produzem, como o artesão Joferson Ferreira, que transforma papel em arte; como o dramaturgo Romualdo Lisboa, que transforma palavras em cenas; Fabion, Renato, José Delmo, Souza.

“O que significa ser socialmente reconhecido como artista e ser ao mesmo tempo capaz de alimentar sua família?” Esta pergunta já percorreu diversos estudos acadêmicos quanto o assunto é artista x trabalho. Existem correntes que afirmam que se você quer matar a criatividade do artista dê-lhe dinheiro! Qual nada! Isto é mito! Qual é o artista que não quer suas contas de água, luz, telefone e internet pagos enquanto cria livremente? Portanto, financiar o artista não é nenhum pecado, muito menos uma aberração. Sabe qual é a grande diferença entre o profissional artista e o profissional comum? É que nós, artistas, amamos o que fazemos. E fazemos porque sentimos, porque depositamos naquilo que fazemos o que há de melhor em nós. Com isso não quero dizer que não existam outros profissionais que não façam o mesmo. Porém, nós, artistas, temos um algo mais. Só quem é, sabe! Só quem faz, sente! Só quem vive, conhece.

Certa vez, o papa João Paulo II disse: “Todos os artistas têm em comum a experiência da distância insondável que existe entre a obra de suas mãos, por conseguida que seja, e a perfeição fulgurante da beleza percebida no fervor do momento criativo: o que conseguem expressar no que pintam, esculpem ou criam é só um tênue reflexo do esplendor que durante uns instantes brilhou ante os olhos de seu espírito".

Às vezes, como diz Letícia Torgo, algumas coisas nos impede de chegarmos onde desejamos: “Medo, auto-sabotagem, ausência de metas, baixa-estima, falta de foco e a síndrome de Gabriela”: “Eu nasci assim eu cresci assim eu sou mesmo assim”. Entretanto, no fundo, isso nunca foi um problema para o artista. O grande dramaturgo Anton Tchékhov, autor de um dos mais belos textos teatrais do século 19, “A Gaivota”, dizia que “ao exigir do artista uma atitude consciente em relação ao seu trabalho, você tem razão, mas confunde dois conceitos: a solução do problema e a colocação correta do problema. Apenas o segundo é obrigatório para o artista".

Deixe seu comentário para O Artista

SEJA O PRIMEIRO A COMENTAR ESTE POST! Deixe agora o Seu Comentário :)
Avalie Este Conteúdo: 1 2 3 4 5
[Aguarde, Buscando Dados!]

Colunas de Pawlo Cidade

Pawlo Cidade
Pawlo Cidade

Pawlo Cidade é escritor e ativista cultural. E-mail [email protected]

Temos produtos Culturais

Política

O que é um produto cultural? Em linhas gerais, num [+]

Diversidade Cultural

Política

Se você pesquisar no google o conceito de diversidade cultural [+]

Entrelinhas

Política

Certa vez, meio-dia, sem um centavo no bolso, sentei na [+]