Aguarde! Carregando...
Aguarde! Carregando...
X

O Tabuleiro

  • Dólar Comercial R$ 3,181 Dólar PTAX800 R$ 3,627
  • 23-01-2017 | 02:17h

'PRESÍDIO NÃO É HOTEL E PRESO NÃO É HÓSPEDE', DIZ SECRETÁRIO DE JUSTIÇA DO RN

O secretário de Justiça e Cidadania do Rio Grande do Norte, Walber Virgolino, comentou a crise carcerária brasileira e declarou que “presídio não é hotel e preso não é hóspede”. “Tem que ser tratado como preso, como acontece no Japão, nos Estados Unidos”, defendeu em entrevista ao jornal O Globo. Virgolino é delegado de polícia. Questionado sobre a comparação das instalações dos presídios brasileiros à de um hotel, ele confirmou sua opinião.

“É um hotel, sabe por quê? Se você pegar a maioria dos presídios do Brasil vai encontrar televisão, frigobar, ar-condicionado. Isso não é um hotel, não?”, disse, para completar: “Mesmo assim aqui os doutrinadores comparam o sistema penitenciário com calabouço, mas o calabouço não tem ar-condicionado, não tem televisão, não tem ventilador, não tem ferro de engomar, frigobar, churrasqueira”.

O secretário anunciou ainda que vem retirando os bens encontrados das unidades, mas admitiu que há conivência do Estado, que permite que as celas sejam equipadas com itens de fora. Alguns estados fazem um acordo tácito com os presos. Tu fica quietinho e eu deixo entrar tudo pra tu. (...) O Estado recua, fica com medo do preso, e começa a aceitar de forma involuntária tudo do preso, para ele não bagunçar, não matar ninguém, não fazer rebelião. Virgolino também foi indagado sobre a existência de presídios superlotados.

“Não é aceitável (ter celas superlotadas), mas a senhora acha que vai mudar isso nesses 20 anos? (...) A gente tem que gerenciar com o que tem na mão. Eu não posso ficar trabalhando (com a hipótese) que vai cair (do céu) 20 presídios lá, dizendo que vai ter um preso por cela. Não vai. Temos que adotar medidas pensando na realidade”, argumenta.

Em sua avaliação, não há indícios de que seu estado deva ser palco de futuras rebeliões ligadas aos massacres ocorridos nas últimas semanas na região Norte, que ele classifica como fruto de uma briga “isolada”. Atualmente, o Rio Grande do Norte tem cerca de 8 mil presos em 4,5 mil vagas – os detentos do Sindicato do Crime e do PCC são separados nas unidades estaduais. “A estrutura física prejudica um pouco, mas a gente tem moral dentro dos presídios”, garantiu.

Deixe seu comentário para 'PRESÍDIO NÃO É HOTEL E PRESO NÃO É HÓSPEDE', DIZ SECRETÁRIO DE JUSTIÇA DO RN

SEJA O PRIMEIRO A COMENTAR ESTE POST! Deixe agora o Seu Comentário :)
Avalie Este Conteúdo: 1 2 3 4 5
[Aguarde, Buscando Dados!]

Notícias Relacionadas

Notícias Relacionadas