Aguarde, carregando...

O Tabuleiro

Pawlo Cidade

Pawlo Cidade

QUANTO VALE SEU VOTO? – PARTE 2

O que são serviços prestados? Eu fiz esta pergunta no podcast: Quanto Vale Seu Voto – Parte 1, da semana passada, e expliquei como os articulistas/entendedores falam do papel daquele que presta serviços à comunidade e usam este argumento em suas campanhas de vereador.

 O dicionário informal afirma que Prestação de Serviços são “características de pessoas físicas ou jurídicas que trabalham informalmente ou formalmente para outras pessoas, a troco de um valor a ser combinado”. Portanto, o indivíduo que presta o serviço é aquele que espera alguma coisa em troca, correto?

Pois bem, outro dia li uma matéria que enaltecia os serviços prestados de um cidadão, candidato a prefeito de Ilhéus. Nada contra o candidato. Mas suponhamos que este candidato seja um servidor público. E esta ali, conforme precípua sua função, para servir às pessoas. Ele é o tipo de funcionário que facilita a vida do indivíduo. Facilita no sentido sério da palavra. Nada pejorativo. Não é aquele típico cidadão que sempre dá um jeitinho na coisa. Não, ele serve e lhe atende como deve ser servido e atendido.

Este servidor faz de tudo para que a pessoa consiga resolver seus problemas. É o típico servidor dos sonhos. Eficaz, eficiente, competente, capacitado e, conhecedor do que faz e serve. Por ter servido à comunidade durante anos, “ajudado, contribuído e facilitado” a vida do cidadão, dá a este dito servidor o direito de usar sua contribuição à sociedade como argumento para se candidatar a algum cargo político? Eu acredito que não. Infelizmente, não é assim que pensa um monte de gente por aí.

Agora, se este servidor, tem uma visão clara do papel do vereador e sabe que pode criar políticas públicas para que funções como a dele deixem de ser complicadas, menos burocráticas e eficientes, então ele será um ótimo candidato. Não dá é para você eleger um analfabeto funcional que só entende de festa para se tornar um legislador.

Portanto, antes de escolher seu vereador e seu prefeito, analise as propostas que ele tem para o Município. Não se deixe levar pelo oba-oba, pela tapinha nas costas, pelos abraços apertados e os cafezinhos na sua cozinha. Vá a debates. Questione seus programas, queira saber como eles pretendem implementar seus projetos.

Vereador não é prefeito. Ele não vai calçar sua rua, por lâmpada nos postes nem tampouco resolver o problema do esgoto a céu aberto no seu bairro. Isto é papel do prefeito. Vereador cria leis sérias e ajuda na construção de políticas públicas que vão facilitar a sua vida. Desconfie de quem diz que tudo pode, tudo sabe e que quando chegar lá, no plenário, será diferente.

Entretanto, se você acha que vereador é prefeito e que agora todos os problemas da sua comunidade estarão resolvidos porque você tem na Câmara um representante do povo, se prepare para não ser mais atendido em suas ligações, a nunca encontrá-lo no gabinete e esquecer que você e aqueles vinte votos que você conseguiu não valeram de nada.

Por fim, uma última coisa: aqueles vereadores que sumiram nos últimos três anos, que foram abduzidos por algum disco voador, e você ficou preocupado com o desaparecimento deles, pode ficar tranquilo. Eles vão voltar! E vão prometer tudo que eles não conseguiram fazer nestes quatro anos.

Afinal, um mandato é pouco e quatro anos passam voando.

Por: Redação O Tabuleiro
Dia 06/02/2020 11h56

Veja mais colunas de Pawlo Cidade:

Confira mais artigos relacionados e fique ainda mais informado!

Pawlo Cidade

O AMOR